Qual a diferença entre Psicólogo Clínico e Psicoterapeuta?

Psicólogo Clínico é alguém que tem o curso superior de Psicologia e o mestrado integrado em Psicologia Clínica. O Psicoterapêuta, além dessa formação inicial, tem  ainda uma especialização num Modelo Psicoterapêutico, que é uma formação Pós-graduada que pode durar entre 2 a 5 anos, dependendo do Modelo Psicoterapêutico em causa.
Além desta diferença, o Psicoterapêuta está a fazer, ou já concluiu, o seu próprio processo psicoterapêutico e tem, ou teve, supervisão das consultas que dá, pelo menos durante 2 anos.
Tanto o Psicólogo Clínico, como o Psicoterapêuta, têm que estar inscritos na Ordem dos Psicólogos Portugueses para poderem exercer.

Quanto tempo demora um processo Psicoterapêutico?

Dependendo do Modelo Psicoterapêutico usado e do pedido do cliente, um processo psicoterapêutico pode durar 3 meses, 6 meses, um ano ou mesmo mais que isso.
No entanto, mesmo que o cliente tenha apenas algumas consultas de Psicoterapia, esse trabalho é sempre útil e benéfico.
Muitas vezes a pessoa só precisa de trabalhar alguns pontos da sua vida para resolver a situação de crise em que está, e recorre à terapia para ter ajuda nessa etapa da sua vida.
Na experiência dos clínicos do SAPP , o ideal para ter resultados positivos e permanentes, é a pessoa ter pelo menos 3 meses de Psicoterapia, o que equivale, a mais ou menos, 12 sessões.

Como é que “só falando”, é possível curar/tratar os problemas psicológicos?

Esta é uma dúvida que muitas pessoas têm! De facto, por estranho que possa parecer à primeira vista, é de facto possível curar/tratar problemas psicológicos  através do diálogo. Mas este diálogo é um diálogo especial, e é completamente diferente das conversas/diálogos que o paciente pode ter com amigos ou familiares.
Para quem está numa consulta de Psicologia Clínica, aquilo que pode parecer uma mera “conversa” entre paciente e Psicólogo, é muito mais do que isso. As intervenções verbais do Psicólogo Clínico (comentários, questionamento, etc) procuram levar o paciente a adoptar uma atitude diferente perante si próprio e perante a sua vida.

O que é a Psicoterapia?

A Psicoterapia consiste em sessões regulares de Psicologia Clínica.
O mínimo aconselhado é uma sessão por semana (45 min. cada sessão), podendo embora variar consoante cada caso.
Ao longo das sessões o paciente fica menos triste e mais optimista pois adquire novas formas mais eficazes de lidar com os seus problemas e desenvolve as suas capacidades emocionais e, simultaneamente, ganha um maior conhecimento de si próprio. Com a ajuda do Psicólogo Clínico o paciente  aumenta a sua auto-estima (valor que sente que tem).
É um método de tratamento de problemas psicológicos e emocionais, baseado no conhecimento científico do funcionamento psicológico (Psicologia, Psicanálise, Neurociências, etc).
Com a frequência das sessões, estabelece-se uma relação de confiança entre o paciente e terapeuta, que permite ao paciente expor as suas dificuldades de um modo franco e livre, assim como recordar e abordar memórias dolorosas da sua história de vida. O Psicoterapeuta deverá criar um clima de à-vontade para que o paciente se sinta confortável ao expor as suas questões.
Uma vez que ocorrem mudanças profundas na personalidade e um grande aumento no conhecimento de si próprio, a Psicoterapia leva a que ocorram muitas alterações positivas do comportamento, conduzindo assim uma maior adaptação pessoal e social e aumento da sensação de descontracção e liberdade.
Ao longo das sessões de Psicoterapia, o paciente experiencia novas situações, emoções, novas facetas de si, novas formas de comportamento, um aumento da auto-eficácia e esperança (convicção de que consegue fazer coisas de forma diferente e mais positivas).

Porque razão as consultas de Psicoterapia costumam ser semanais?

Qual a situação que é mais eficaz: um jogador de futebol que treina regularmente ou um jogador que treina esporadicamente e sem regularidade?
Está comprovado que uma regularidade semanal é a forma mais eficaz de permitir ao paciente a sua melhoria. Uma regularidade mais alagada das sessões (de 15 em 15 dias ou de mês a mês) teria como consequências: 1) o paciente ficaria durante todo esse tempo entre as sessões com os seus problemas e isso seria muito negativo, podendo levar a um agravamento do seu estado; 2) o paciente demoraria muito mais tempo a melhorar, pois o tratamento ficaria muito “diluído”; 3) a relação terapêutica (relação benéfica entre psicólogo-paciente, que permitirá muitas mudanças positivas no paciente) ficaria pouco desenvolvida, e, o paciente teria “um pé no tratamento e um pé fora”.
A regularidade permite “trabalhar” melhor (resolver adequadamente) as dificuldades do paciente. Esta regularidade tem um enorme efeito terapêutico (daí ser um aspecto generalizado na prática da psicoterapia em todo o mundo) pois permite um trabalho sistemático.
A regularidade das consultas (chamadas de “sessões”) em Psicoterapia é um aspecto extremamente importante, pois, ao longo das sessões, as “conversas” entre o paciente e o psicólogo vão tendo uma certa sequência e encadeamento e alguns temas vão sendo abordados progressivamente. Vai sendo criado um encadeamento nos temas abordados e isso vai ajudar o paciente a lidar e compreender certos aspectos que antes tinha mais dificuldade e, sobretudo, vai também ganhando mais ânimo e optimismo. É por esta razão que os intervalos entre as sessões, em princípio e idealmente, não deverão ser superiores a uma semana; caso contrário, pode-se perder o sentido deste processo e leva-se algum tempo da sessão a retomar os temas que estavam sendo “trabalhados”.

Há sigilo absoluto no que contar ao Psicólogo?

Absolutamente.
O sigilo é a base da confiança e é indispensável.
Os psicólogos (como muitas outras profissões) estão obrigados eticamente e através de códigos deontológicos rigorosos a guardar sigilo absoluto de tudo o que os seus pacientes lhes contarem ou esteja relacionado com as consultas. Inclusivamente o psicólogo não pode divulgar a ninguém qualquer tipo de dados sobre os pacientes que acompanha.
Os Psicólogos, devido à sua prática clínica e ao sigílo, estão acostumados a que os pacientes confidenciem os mais variados aspectos da sua vida privada.

Há confidencialidade nas consultas?

Total.
Só unicamente o Psicólogo saberá que tem consulta.
A marcação e o atendimento é efectuada sem passagem por qualquer sistema de secretariado de forma a permitir a máxima discrição e sigilo.
As consultas de Psicologia Clínica e as sessões de Psicoterapia são marcadas de forma a evitar que existam cruzamentos entre pacientes, de forma a garantir a máxima privacidade.

Psicólogo Clínico vs Psiquiatra (diferenças)

Muitas vezes ainda se confunde o Psicólogo Clínico com o Psiquiatra, pelo facto de ambos intervirem ao nível da saúde mental. Contudo, ambos têm formações e funções bastante diferentes.

Psicólogo Clínico

  • É um especialista licenciado em Psicologia Clínica (uma das diferentes áreas da Psicologia), e possui conhecimentos aprofundados na área do diagnóstico, avaliação e intervenção psicológica. Existem também a Psicologia Educacional, Social e das Organizações, Forense. O Psicólogo Clínico pode especializar-se no tratamento de problemas psicológicos em faixas etárias específicas como no caso de crianças, adolescentes, adultos, seniores. O Psicólogo Clínico não prescreve medicação, mas tem competência para aconselhar os seus pacientes acerca de alguns aspectos específicos que impliquem a utilização correcta ou incorrecta da medicação. Devido a conhecer inúmeras técnicas psicológicas, a sua função é ajudar o paciente a adquirir um estilo de vida mais alegre e satisfatório.
  • Um Psicólogo Clínico é um profissional especializado na vertente clínica da Psicologia (ciência que estuda o comportamento), e que possui um conhecimento aprofundado do funcionamento psicológico/afectivo e conhecimento de técnicas que facilitam a redução da angústia, possibilitando aos seus pacientes um novo olhar sobre os seus pontos-fortes e uma forma mais positiva de afirmação pessoal.
  • Para exercer a profissão de Psicólogo, é necessário que o mesmo esteja autorizado pela Ordem dos Psicólogos (e seja membro efectivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses).

Psiquiatra

É um especialista licenciado em Medicina, que efectuou uma especialização em Psiquiatria (uma das diferentes áreas da Medicina), e possui conhecimentos na área das doenças mentais. O Psiquiatra prescreve medicação. A sua visão muitas vezes baseia-se numa visão dos acontecimentos como tendo origem puramente genética ou neuroquímica. Os tratamentos psiquiátricos não conduzem a mudanças na estrutura da personalidade, porém, a medicação, em certas situações, pode ajudar bastante a que a química cerebral se equilibre e isso contribui para que a Psicoterapia tenha resultados mais rápidos.

Quanto tempo duram as Psicoterapias?

Uma Psicoterapia pode durar entre 6 meses e um ano. Por vezes de 2 anos a alguns anos. Depende da problemática apresentada.Um processo de análise dura um mínimo de 2 anos a alguns anos 4 habitualmente.É importante referir que sempre que se está a tomar medicação (antidepressivos e/ou antipsicóticos) a duração mínima é de 6 meses a um ano. Pelo que durante o mesmo período poder-se-á fazer um tratamento psicoterapêutico simultâneo e potenciar o tratamento.De qualquer modo o não tratamento da situação em causa será seguramente muito mais duradouro e perturbador da qualidade de vida.O alívio da maior parte dos sintomas dá-se relativamente cedo no curso do processo terapêutico (1-2 meses), apesar de o processo continuar.

O que é o contracto Terapêutico?

O contrato terapêutico é o acordo que o paciente e o Psicólogo fazem relativamente ao processo Psicoterapêutico. Inclui o número de sessões por semana, o preço por sessão, a modalidade de pagamento (se é pago no fim do mês ou no fim de cada sessão), o horário estabelecido e as normas relativas às faltas e interrupções das sessões. Uma vez estabelecido, o contrato terapêutico deve ser escrupulosamente cumprido tanto pelo Psicoterapeuta como pelo paciente.

LOGO sappVertical - Perguntas Frequentes

Visite-nos

Av, 5 de Outubro nº 172

1º Andar LISBOA

Horário

Seg-Sex: 10:00h – 20:00h

Sábado: Aberto

Domingo: Fechado

Entre em Contacto

Telefone: 21 483 54 41

Telemóvel: 96 925 91 32

sapp@sapp.pt